26 fev 2019

Projeto da Escola de Hotelaria de Fátima

Categoria Projetos
  • Captura Painel

O projeto da Escola de Hotelaria de Fátima é alvo de destaque na edição da revista Anteprojetos do presente mês de Fevereiro. A arquitetura é da autoria do gabinete Filipe Saraiva - Arquitetos e a engenharia foi desenvolvida pela Central Projetos.

A escola foi estudada tendo em mente criar um complexo de referência na área do ensino profissional de hotelaria. Sendo todo o complexo projetado de raiz, a sua conceção foi assente numa simbiose entre arquitetura moderna e engenharia de vanguarda que inclui a adoção de soluções ecológicas e sustentáveis.

Arquitetonicamente, o complexo foi concebido adotando uma lógica de edifício concentrado, com uma linguagem arquitetónica contemporânea e geometricamente forte, como centro de composição de todo o complexo, contrapondo com o terreno envolvente do qual se mantiveram as suas características naturais, com carácter maioritariamente rural.

Em termos volumétricos, o edifício principal - Edifício Aprender - assume a forma de "edifício ponte" com ligação entre as duas colinas do terreno. Sob este edifício é garantida uma passagem inferior transversal, na zona central, junto da bacia do vale, que mantém a via existente no terreno e onde se constitui uma praça coberta destinada ao acesso de serviços exteriores.

Próximo da entrada no complexo, equidistante do edifício "Aprender" e a praça central, encontra-se o edifício administrativo. De forma recortada, o edifício resulta de uma ocupação que pretende integrar-se num espaço com vegetação e árvores existentes a preservar, constituindo as mesmas como parte integrante do edifício, integradas em pátios ajardinados de contemplação e entrada de luz natural.

Os restantes blocos foram implantados em torno de uma praça central orientada no eixo definido pelas duas dolinas existentes no terreno. O espaço prevê a construção de casas com função de alojamento, uma unidade hoteleira de carácter residencial, biblioteca e um restaurante, e pretende através de uma abordagem contemporânea recriar o ambiente de uma aldeia tradicional estremenha do século XIX.

Na conceção geral dos projetos de especialidades de engenharia foram adotados princípios técnicos assentes em soluções ecológicas e sustentáveis facilmente aplicáveis à modularidade da obra e sua possibilidade de faseamento.

Os sistemas de climatização de cada um dos edifícios será autónomo e apropriado às particularidades da funcionalidade e ocupação do mesmo. Destaca-se a utilização nas de tetos ventilados, que terão exaustão de ar, ar de compensação (não tratado termicamente) e ar climatizado.

O aquecimento de águas quentes sanitárias é, genericamente, centrado em cada um dos edifícios e será efetuado através de painéis solares apoiados por caldeiras a gás.

As águas pluviais, do edifício principal, são alvo de reaproveitamento para abastecimento da rede de rega. As águas de excesso são encaminhadas para exterior do edifício, em superfície livre, para o lago artificial junto às dolinas existentes.

A alimentação de energia elétrica aos edifico será obtida em Média Tensão através da instalação de PT privado, seguindo em baixa tensão até às redes de distribuição dos diversos edifícios. A iluminação projetada recaí por equipamentos LED, estando prevista ainda a utilização de interruptores, fotocélulas, detetores de presença e movimento e controle do índice de iluminação em zonas de grande período de utilização.

Os espaços exteriores da Escola de Hotelaria de Fátima são constituídos pela rede de caminhos de acesso às diversas áreas, por zonas de mato e pinhal, zona de olival, zona de mato e eucaliptal, vinha, hortas e lagos. Os canteiros do pátio interior da Escola serão plantados com diversas espécies aromáticas que serão utilizadas pelos alunos. Este carácter pedagógico estender-se-á também às hortas, vinhas e olival que serão usufruídas nas experiências académicas.

Os lagos propostos terão uma conceção naturalizada, com fins lúdicos e contemplativos, com peixes e plantas aquáticas contribuindo para a fito depuração natural da água. O lago maior encontra-se adossado ao restaurante, que se prolonga para o exterior através de uma esplanada balanceada sobre a água.

Acrescente-se que o atual valor estimado para execução desta obra é de 18.000.000 euros.

  

B. Henriques / C. Carvalho

Últimos artigos
17 mai 2019
Conceção de Edifícios Sismo-Resistentes
14 mai 2019
Projeto de Unidade Industrial e Muros - TOSCCA
09 mai 2019
A escolha do material das tubagens a instalar
Partilhar artigo Partilhe este artigo nas redes sociais
x
O nosso website usa cookies para ajudar a melhorar a sua experiência de utilização. Ao utilizar o website, confirma que aceita a sua utilização. Esperamos que esteja de acordo. Política de Utilização de Cookies.